A beleza de certas coisas

 

Quando ela passa eu fico um tanto sem graça, olho a toa pro céu, piso a toa no chão. Minha mente vagueia por estados em que a mente dela não estará decerto. Eu aqui, pensando nela, em lhe consumir inteira, em me dar por inteiro…

Costurando as horas com retalhos vãos.

 Volto pro meu canto, meu amor vadio se iludiu de novo. Se eu chorar outra vez, não conte a ninguém diga que foi só um erro, que me apaixonei, mas está tudo bem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: