Nada é tanto assim.

Escuta: eu te deixo ser, deixa-me ser então.

Clarice Lispector

Quando eu me lembro de seus olhos de outrora tudo que me vem é que seja tarde.

Eu vejo seus olhos de agora e tudo que vem é que já é tarde.

Depois de fazer uma lista imensa de tudo que ela achava que ele deveria saber sobre, tantas coisas que ele precisa aprender e perceber! Se dava conta aos pouquinhos da fantasia toda criada.

Me deixe só. Me deixe só com minhas lembranças. Elas já me são inúteis. Você é só um borrão sem graça que já não aquece nada.  Perdeu toda sua virilidade. Toda sua intensidade. Toda sua beleza. Desde que trocou seus cabelos de lugar.

Era uma espécie de Sansão de barbas. Luminoso ao sol gostoso e inebriante daquela primavera. Seu sorriso reluzia o branco intenso dos seus dentes quando encontrava o sol de setembro. Suas roupas coloridas davam um sabor apimentado ao paladar dos meus olhos.

Mas foi só trocar os cabelos de lugar que meu disco voador foi buscar outras estrelas solares.

“Go away and close the door, please
I feel cold
Go away but leave the sun in
I feel cold
For tonight there’ll be no one to warm my room
So I’ll try to keep the heat with memories”

Que o sol entre pelas portas e janelas e almas como num dia bem intenso e quente de verão e te varra daqui pra bem longe.

http://www.radio.uol.com.br/#/busca/musica/virginia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: