Não amarás!

tomek2 

Extasiada.

Ela não sabia de sua atordoada existência. Ele não a conhecia. Mas sabia de cada detalhe de seu cotidiano, de sua casa, de seu corpo, seus amantes..

 Não sabia ele que ela nada conhecia sobre o amor. Não sobre aquele amor que invadia todos os seus sentidos enquanto sentava a espionar sua janela, tentando em vão desvendar sua alma. Daquilo que poderia até ser considerado uma forma dolorosa de sentir a vida.

São formas diferentes de sentir, e daí?

Ele nem sequer sabia o que queria dela.

O que poderia querer além de só sentir?

Não se pode julgar Tormek por deslumbrar-se pelo desconhecido. Talvez tampouco condenar Magda por zombar de sentimentos que não vislumbrava. Que ela não conseguia, ao menos, respeitar.

Nem sempre sente-se na mesma medida. Com a mesma intensidade.

Isso é sofrer?

Sentir. Participar. Compartilhar, mesmo que a espreita, da vida de alguém, de suas dores e seus deleites.

 Estranho reconhecimento.

Supostas equivalências mórbidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: